Esportes Crise financeira

Dívida do Corinthians com elenco e agentes cresce R$ 73 milhões

Atletas como Gil, Ramiro, Cássio e Fagner são os maiores credores do clube.

30/03/2021 08h35
Por: Redação Fonte: Uol
Gil tem direito a receber R$ 11 milhões do Corinthians - Imagem: Ettore Chiereguini/Ettore Chiereguini/AGIF
Gil tem direito a receber R$ 11 milhões do Corinthians - Imagem: Ettore Chiereguini/Ettore Chiereguini/AGIF

O Corinthians teve um aumento de R$ 73 milhões na sua dívida com jogadores do seu elenco e empresários durante o ano de 2020. A informação consta do seu balanço financeiro. Atletas como Gil, Ramiro, Cássio e Fagner são os maiores credores do clube. Há ainda uma pendência maior com o empresário de Pedrinho referente a sua negociação com o Benfica.

A dívida com jogadores e empresários atingiu um total de R$ 121,4 milhões —eram R$ 48 milhões em 2019. Em dois anos, o clube praticamente multiplicou por seis seus débitos com atletas e empresários: eram cerca de R$ 22 milhões ao final de 2019. Todos têm que ser pagos a curto prazo, dentro de um ano.

No total, a dívida líquida do Corinthians atingiu R$ 949 milhões (total do passivo, menos ativo circulante e depósitos judiciais). No total, isso representa um aumento de R$ 165,5 milhões em relação ao final de 2019. Esse valor não inclui a pendência referente à Arena Neoquímica que é de R$ 500 milhões só no empréstimo com o BNDES.

Ressalte-se que todos os clubes brasileiros enfrentaram problemas com a pandemia do novo coronavírus. Em seu balanço, o clube citou quedas de arrecadação com o Fiel Torcedor, com patrocínios e com receitas de TV, parte delas foi transferida para 2021 quando acabou o Brasileiro.

Até por conta disso, a maioria dos clubes transferiu pagamentos de direitos de imagem de 2020 para a atual temporada. Houve aumentos em outros times neste item. Mas a explosão do valor corintiano é bem mais significativa.

No item de direitos de imagem, o maior credor do Corinthians é a empresa de Will Dantas, empresário do jogador Pedrinho, referente à negociação dele com o Benfica. O Alvinegro tem que lhe pagar R$ 33,9 milhões. Esse valor será repassado do total de R$ 95 milhões que o Corinthians tem a receber do Benfica pela transferência.

Além disso, o zagueiro Gil é o maior credor do elenco corintiano: o clube tem que pagar R$ 11,6 milhões à empresa do jogador, tudo acumulado em 2020. Ou seja, o Corinthians deixou de pagar quase R$ 1 milhão por mês ao atleta.

O clube ainda deve a outros atletas: Ramiro (R$ 6,8 milhões), Cássio (R$ 2,6 milhões) e Fagner (R$ 5,4 milhões), entre outros. Há ainda débitos com o empresário André Luiz de Souza Oliveira no total de R$ 3,6 milhões.

Esses números mostram como não é barato o time alvinegro tanto que o clube não conseguiu pagá-lo mesmo com R$ 469 milhões de receita bruta, incluindo futebol e parte social. Houve um crescimento de mais de R$ 50 milhões nas receitas graças às vendas de atletas, principalmente Pedrinho. Ainda assim, o time fechou com déficit de R$ 123 milhões.

Houve ainda aumento de dívidas com fornecedores, o que inclui contratações de atletas. Foram gastos R$ 63 milhões em contratações no ano de 2020. Houve acréscimo também em tributos parcelados porque o clube fechou um acordo com a Receita Federal para quitar a longo prazo uma dívida de imposto de renda.

É verdade que houve uma redução nas despesas com pessoal da ordem de R$ 35 milhões. Mas isso foi insuficiente para impedir um novo aumento de dívida e déficit. De positivo, o clube apresentou um balanço de 2020 bem mais extenso e com informações mais detalhadas do que no ano anterior. Houve, portanto, um aumento de transparência na prestação de contas.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.