Saúde Covid-19

Após reunião, ministro anuncia chegada de 175 milhões de doses até setembro

s imunizantes devem reforçar o plano nacional de imunização nos estados e municípios brasileiros.

13/07/2021 15h15
Por: Redação Fonte: Cidade Verde
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga e o governador do Piauí, Wellington Dias
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga e o governador do Piauí, Wellington Dias

Após a reunião realizada nesta terça-feira (13), em Brasília, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), que coordena a temática vacinação no fórum dos governadores, anunciaram a chegada de mais 175 milhões de doses de vacinas ao Brasil até o próximo mês de setembro (41 milhões em julho e 134 milhões entre agosto e setembro). Os imunizantes devem reforçar o plano nacional de imunização nos estados e municípios brasileiros. 

Durante o encontro também ficou acertado que caberá a coordenação nacional do plano a decisão de antecipar ou não a aplicação da segunda dose das vacinas Aztrazeneca e Pfizer, proposta apresentada pelos governadores, assim como também o início da aplicação de doses para adolescentes acima de 12 anos. 

"Acertamos encaminhar ao plano nacional de imunização a decisão, para ser a decisão nacional, em relação antecipar ou não antecipar a segunda dose. Se tiver antecipação, o que é possível, quais vacinas. Em relação à população acima de 12 anos, já há estudos. Caberá ao plano nacional de imunização uma regra nacional", destacou Wellington Dias.

Já o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, informou que a decisão a respeito das duas temáticas ainda não tem prazo para ser anunciada, mas deverá ser seguida por todos os entes federados. Ele destacou que os representantes do Plano Nacional de Imunização (PNI), que reúne representantes de estados, municípios e do governo federal, se reúne semanalmente. 

"A decisão que tomamos hoje é que se mantenha a rigidez do PNI. Se algum secretário entende de maneira diferente, ele apresenta ao grupo e o grupo vai deliberar, de tal maneira que consigamos acertar. É claro que existem peculiaridades, coisas muito próprias de cada município, mas as bases técnicas tem que ser tomadas no âmbito técnico, para que possamos ter a homogeneidade", disse o ministro, ao destacar que atualmente apenas um imunizante possui autorização da anvisa para aplicação em adolescentes.

Durante o encontro, os gestores estaduais também discutiram com o ministério da Saúde questões relacionadas a retomada das atividades presenciais na educação, bem como a possibilidade de uma revisão da proporcionalidade para a distribuição de doses a estados e municípios. 

 

Veja as reivindicações apresentadas durante o encontro: 

 

1 - Cronograma de entrega de vacinas do Ministério  da Saúde, levando em conta maximizar entrega entre julho/ agosto/ setembro/ outubro. Garantir Brasil como Baixo Risco Covid com toda demanda vacinada com no mínimo 1ª dose, acima de 16/18 anos.

2 - Estratégia para vacinação do público abaixo de 18 anos com comorbidades. 

3- Calendário / protocolo com eixos Nacional para retorno às aulas a partir de agosto/21 (MEC/ CONSED/ CONSEM e Observatório Nacional da Educação/ Comitê Científico).

4 - Antecipação da segunda dose das vacinas  AstraZeneca e Pfizer;

5 - Sputnik V- uso em cada Estado que compra e monitora nas regras do PNI, e convênio Estados e Ministério da Saúde.

6 - Rede Nacional de tratamento Pós-covid 19 - Sequelados(as).

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.