Política Cerco se fechando

TSE quer ouvir Bolsonaro sobre novas provas em ação sobre cassação

O compartilhamento foi autorizado pelo relator do inquérito, ministro Alexandre de Moraes, que integra o TSE e o STF.

15/07/2021 14h59
Por: Redação Fonte: Coluna da Carolina Brígido / Uol
Presidente Jair Bolsonaro | Imagem: Eraldo Peres/AP Photo
Presidente Jair Bolsonaro | Imagem: Eraldo Peres/AP Photo

Assim que terminar o recesso, em agosto, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) deve intimar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para se manifestar sobre as novas provas incluídas no processo que pode levar à cassação do mandatário e do vice, Hamilton Mourão.

Chegaram na quarta-feira (14) ao gabinete do ministro Luís Felipe Salomão provas do inquérito dos atos antidemocráticos que tramita no STF (Supremo Tribunal Federal). O compartilhamento foi autorizado pelo relator do inquérito, ministro Alexandre de Moraes, que integra o TSE e o STF.

Moraes vai presidir o TSE nas eleições de 2022. A decisão tomada por ele mostra que ele será rígido na condução da campanha. Bolsonaro é investigado na corte eleitoral por suposta participação em uma rede de disparo em massa de notícias falsas na eleição de 2018.

Segundo integrantes do TSE, o volume de provas é extenso e os ministros ainda não tiveram a chance de avaliar se os novos elementos são fortes o suficiente para justificar a perda do mandato de Bolsonaro. Logo na primeira semana de agosto, Salomão e Moraes devem se reunir para discutir estratégia, procedimentos - e, quem sabe, novos compartilhamentos.

As investigações do TSE mostram que o esquema de disparo em massa teria sido financiado por empresários, via caixa dois, para a disseminação de informações falsas. Bolsonaro teria sido beneficiado pelo sistema durante a campanha.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.