Entretenimento Televisão

Sikêra Jr. ofende âncora da CNN Brasil: "Cara de bolacha"

Apresentador debocha de Daniela Lima, que foi xingada por Bolsonaro e cometeu gafe ao ‘enterrar’ o presidente

16/07/2021 09h23
Por: Redação Fonte: Sala de TV / Terra
Sikêra Jr. ofende âncora da CNN Brasil:

Quinta-feira (15), no ‘Alerta Nacional’, da RedeTV!, logo após se despedir de Jair Bolsonaro e do cirurgião gástrico Antonio Macedo, em transmissão ao vivo do hospital, Sikêra Jr. afirmou que a imprensa iria repercutir de maneira deturpada sua ironia com o presidente.

“Vamos deixar de ‘mimimi’, levanta aí, tá? O senhor é um atleta. Deixe de ser frouxo. Fica aí fazendo manha. ‘Nhenhenhê, a barriga’... Tá de atestado?”, zombou. Deitado e com sonda nasogástrica, Bolsonaro gargalhou.

“Eita que daqui a pouco os sites estão da peste”, previu Sikêra, alvo frequente de críticas. “Aquela da cara de bolacha da CNN”, mencionou. “Ela errou de novo, disse alguma coisa aí, ela erra, não acerta uma. A cara de bolacha da CNN.” O apresentador fez uma careta para debochar da fisionomia de quem se referia.

Tratava-se, obviamente, de Daniela Lima, âncora do ‘CNN 360°’. No vídeo divulgado pelo próprio apresentador em seu canal no YouTube (e incluído neste post) o comentário pejorativo começa em 11:40.

O ‘erro’ citado por Sikêra aconteceu na quarta-feira à tarde, quando a apresentadora narrava ao vivo o deslocamento da UTI móvel que levava Bolsonaro até a Base Aérea de Brasília. “O presidente Jair Bolsonaro foi enterra... internado pela manhã”, disse. A gafe foi repercutida na imprensa e nas redes sociais.

Daniela Lima é uma velha conhecida e ‘inimiga’ dos bolsonaristas. Algumas declarações da apresentadora na CNN Brasil suscitaram polêmica. Em maio, ela foi atacada ao comentar que “só 1” policial morreu na operação no Jacarezinho, no Rio, que teve 27 mortos entre os suspeitos, segundo a polícia.

Sob ataque na internet, inclusive da parte do vereador Carlos Bolsonaro, e contestada por Sikêra Jr. na TV, a jornalista se defendeu pelo Twitter. “Para encerrar: em nenhum momento quis minimizar a morte do policial. Rogo por um país em que a polícia não tenha que matar e muito menos que morrer. Que tenha condições de, com segurança, cumprir a lei. Prender quem deve ser preso”, postou.

Poucos dias depois, a âncora provocou novamente a fúria de assessores e seguidores do presidente. Ao anunciar o saldo positivo de novos empregos com carteira assinada em abril, ela soltou frase dúbia: “Não saia daí porque agora, infelizmente, a gente vai falar de notícia boa, mas com valores não tão expressivos”.

Os bolsonaristas a acusaram de torcer contra o sucesso da política econômica do governo. O próprio Bolsonaro reagiu. “É uma quadrúpede. Afinal de contas, acho que não preciso dizer de quem ela foi eleitora no passado, né? De outra do mesmo gênero”, declarou.

Ficou entendido que falava de Daniela Lima e Dilma Rousseff. A CNN Brasil, propriedade do bilionário Rubens Menin, que apoia publicamente Bolsonaro, condenou o insulto disparado pelo presidente contra a âncora.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.