31°

Poucas nuvens

Teresina - PI

Saúde Vício

Abandono de tratamento contra o tabagismo cresceu na pandemia

Durante o ano de 2020, houve uma redução de 66% no número de fumantes em tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS), diz estudo

29/08/2021 às 09h46
Por: Redação Fonte: CNN Brasil
Compartilhe:
Dia Nacional de Combate ao Fumo ressalta a importância do combate ao tabagismo | Getty Images (Seksan Mongkhonkhamsao)
Dia Nacional de Combate ao Fumo ressalta a importância do combate ao tabagismo | Getty Images (Seksan Mongkhonkhamsao)

O consumo de cigarro é um problema de saúde pública responsável por quase 8 milhões de mortes por ano no mundo. Diante da pandemia de Covid-19, organizações sanitárias alertam que o abandono do tratamento pode levar ao aumento do número de vítimas. Neste 28 de agosto, o Dia Nacional de Combate ao Fumo ressalta a importância do combate ao tabagismo.

Dados do Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) indicam que, durante o ano de 2020, houve uma redução de 66% no número de fumantes em tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS) em relação a 2019. Entre as regiões brasileiras, a maior queda provocada pela pandemia foi no Sudeste, com 68%. A região Nordeste registrou 66%, seguida do Centro Oeste (63%), Sul (62%) e Norte (59%).

Segundo a psicóloga Vera Borges, da Divisão de Controle do Tabagismo do Instituto Nacional do Câncer (Inca), a pandemia interferiu diretamente no tratamento desses pacientes, que deixaram de ir aos hospitais. “Com as unidades de saúde atendendo quase que exclusivamente casos de Covid-19, algumas pessoas evitaram a ida e a permanência em instituições de saúde”, apontou.

 

Estratégias podem ajudar a parar de fumar

 

O cigarro contém substâncias químicas que são altamente viciantes, como a nicotina. O efeito da substância no cérebro é parecido com o de um neurotransmissor chamado acetilcolina, que ajuda a controlar os movimentos musculares e outras funções cerebrais.

Quando a nicotina se liga aos receptores de acetilcolina, o organismo libera dopamina, uma substância ligada ao bem-estar. No entanto, quando a dopamina diminui, surge novamente a vontade de fumar.

Algumas estratégias podem ajudar a parar de fumar, o que pode trazer benefícios para a saúde a curto e longo prazos.

 

1- Foco em se manter longe do cigarro

 

O objetivo não deve ser parar de fumar, mas como permanecer firme nesse propósito, de acordo com Panagis Galiatsatos, diretor da Clínica de Tratamento do Tabaco do Hospital Johns Hopkins. Ele conta que já atendeu pacientes que pararam de fumar várias vezes, mas não conseguiram manter isso por muito tempo.

Para evitar recaídas, o especialista aconselha criar pequenas metas em vez de uma mais difícil de alcançar. Para isso, é preciso identificar quais são os gatilhos que fazem com que você tenha vontade de fumar e eliminá-los aos poucos.

 

2- Aprenda com os erros

 

A maioria das pessoas que fuma tenta largar o cigarro de 8 a 12 vezes antes de conseguir abandonar de vez o vício, diz Jonathan Bricker, professor da divisão de ciências em saúde pública do Centro de Pesquisas em Câncer da Universidade de Washington. O especialista recomenda a seus pacientes que tirem uma lição dessas experiências.

“As coisas que mais escuto são: ‘Aprendi o quanto é difícil passar pela crise de abstinência’ ou ‘Descobri que ver outras pessoas fumando é um gatilho para mim’ ou “Percebi que o estresse é o meu maior gatilho’”, diz Bricker.

Segundo ele, quanto mais as pessoas extraírem ensinamentos sobre suas tentativas fracassadas, maiores as chances de conseguir largar o cigarro de vez.

 

3- Use a tecnologia

 

Bricker recomenda a utilização de algum dos diversos aplicativos disponíveis no mercado que oferecem recursos para ajudar a parar de fumar como uma das formas de combater o vício (o que não dispensa o acompanhamento médico).

 

4- Procure ajuda médica

 

Bricker recomenda às pessoas que querem parar de fumar consultar um especialista médico, que irá oferecer diferentes possibilidades de tratamentos e estratégias, de acordo com as necessidades de cada um.

“O médico pode prescrever remédios que diminuem as crises de abstinência, o que é uma boa estratégia de curto prazo para ajudar a treinar o cérebro a ficar sem a substância”, complementa Bricker. Ele explica que a medicação prescrita vai depender do nível do vício de cada paciente.

 

5- Como ajudar alguém a parar de fumar

 

Galiatsatos diz que nunca conheceu um paciente que não soubesse que fumar faz mal à saúde. Por esse motivo, ele não recomenda usar esse argumento para tentar convencer alguém a parar de fumar. “Se você quer mesmo ajudar alguém a abandonar o vício, a melhor estratégia é ser pró-fumante e contra o cigarro”, afirma.

Isso significa não ter uma atitude de julgamento ou estigma. “Se a pessoa se sentir julgada, ela vai ser reativa e a tendência é que ela minta, dizendo que parou de fumar mesmo quando isso não for verdade”, conclui.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Viver Bem
Viver Bem
Sobre Dicas de como manter a saúde em dia através da adoção de uma rotina simples para sua vida!
Teresina - PI Atualizado às 18h47 - Fonte: ClimaTempo
31°
Poucas nuvens

Mín. 25° Máx. 36°

Qua 35°C 24°C
Qui 36°C 24°C
Sex 37°C 24°C
Sáb 37°C 24°C
Dom 37°C 23°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes