Cidades CPI dos transportes

Empresário diz que alternativos fraudam viagens com bilhetagem eletrônica

Empresário e presidente do Sistema de Transporte de Teresina (Sitt), Alberlan Euclides de Sousa negou que a prática aconteça dentro das empresas que fazem parte do sistema convencional.

24/06/2021 14h45
Por: Redação Fonte: G1 Piauí
Ônibus em Teresina — Foto: José Marcelo
Ônibus em Teresina — Foto: José Marcelo

Em depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o transporte público de Teresina, o empresário e presidente do Sistema de Transporte de Teresina (Sitt), Alberlan Euclides de Sousa, denunciou que operadores do transporte alternativo estariam fraudando o pagamento da bilhetagem eletrônica. O empresário negou que a prática aconteça dentro das empresas que fazem parte do sistema convencional.

A afirmação aconteceu quando o empresário, que foi convidado à CPI na condição de presidente do SITT, foi perguntando pelo vereador Bruno Vilarinho (PTB) se havia alguma possibilidade de fraude ou evasão de recursos dentro do sistema de transporte. O empresário argumentou que fraudar viagens não geraria lucro para os operadores do sistema convencional.

“Então seria loucura, além de concorrer com uma coisa errada. Isso está acontecendo no transporte alternativo. Quem tem que lidar com isso é o poder público”, disse Alberlan de Sousa.

Empresário Alberlan Euclides de Sousa denuncia que transporte alternativo frauda viagens com bilhetagem eletrônica em Teresina — Foto: Câmara Municipal de Teresina/ Youtube

 

O presidente da CPI, o vereador Dudu (PT), disse que as planilhas de registro da bilhetagem eletrônica devem passar por auditoria. O vereador comentou que as planilhas mostram vans transportando número de passageiros muito maior do que os ônibus, apesar do número reduzido de cadeiras.

O sistema de bilhetagem eletrônico, chamado ControlSitt, foi criado e gerido pelo Sitt, que é um órgão de representação jurídica do Setut. O sistema foi instalado nos veículos do transporte alternativo, mas segundo Alberlan, nem Setut nem Sitt têm gerência sobre as máquinas das vans.

 

Blindagem

 

O empresário Ramon Alves, dono da empresa Timon City, que opera na cidade vizinha de Timon (MA), denunciou que houve uma blindagem sobre a licitação do sistema de transporte público de Teresina e sobre a bilhetagem eletrônica.

Segundo ele, o sistema de bilhetagem foi negado à sua empresa, que transporta pessoas entre Teresina e Timon. Para o empresário, isso teria ocorrido para que os passageiros fossem obrigados a usar apenas os ônibus de Teresina.

“Desde 2015 tento colocar bilhetes nos meus ônibus e não consigo [...] Quando eles provocam usuário a usar só um tipo de sistema ocorre isso. Em Timon, tinha empresa concorrente, que é de um dos diretores do Setut, que tinha bilhete eletrônico. Chegaram a dizer que minha empresa era ‘empresa de rico’”, comentou

Em resposta ao empresário, o presidente do Sitt Alberlan Euclides disse que a bilhetagem eletrônica foi negada à Timon City por ser um sistema municipal, e a Timon City uma empresa de transporte interestadual.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.